Maria Lopes

Maria Lopes

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Caminhando pela roça.Boa Noite.



Maria Andrade de Slidely by Slidely Slideshow

O Amor sob a perspectiva do pintor.

O Amor sob a perspectiva do pintor.
http://www.thatcreativefeeling.com/is-sea-shell-art-a-lost-form/

https://br.pinterest.com/pin/491807221789294633/

Romeu e Julieta (1870), do pintor Ford Madox Brown (Domínio Público)

Véspera de solstício de verão, do pintor Edward Robert Hughes (Domínio Público)


Miranda (1895), do pintor Thomas Francis Dicksee (Domínio Público)

O amor e a donzela (1877), do pintor John Roddam Spencer Stanhope (Domínio Público)


Romeu e Julieta (1870), do pintor Ford Madox Brown (Domínio Público)
http://dev.epochtimes.com.br/veja-obras-de-pintores-da-irmandade-pre-rafaelita-parte-02/#.V1rkK-drhhE

Elegancia y talento emana de la obra de Alfons Mucha (Moravia, 1860- Praga, 1939), pintor y creador de fantasía,

Elegancia y talento emana de la obra de Alfons Mucha (Moravia, 1860- Praga, 1939), pintor y creador de fantasía,




LA FRUTA Y ALFONS MUCHA







Fruit (Fruta) 1897, Alfons Mucha
©2014 Mucha Foundation
  Elegancia y talento emana de la obra de Alfons Mucha (Moravia, 1860- Praga, 1939), pintor y creador de fantasía, de un mundo evocador que te traslada directamente al mundo de los sueños. Esta vez, junto a las frutas, excusa perfecta para hablar de este artista y de estos manjares que apetecen tanto en verano.

  Alfons Mucha
- Foto de dominio público -
(Imagen disponible en la Biblioteca del Congreso de los Estados Unidos)

  Mucha es uno de los embajadores del conocido como Art Noveau, en definitiva, un abanderado del modernismo y opositor del academicismo en defensa de la originalidad, la delicadeza  de la naturaleza, de sus formas, de otorgar más importancia a las líneas curvas que las rectas definidas y aburridas de años anteriores… Lo exótico, lo erótico y los sentidos se rinden al  homenaje que  este genial maestro les dio.
  En 2008 CaixaForum en Madrid, mostró una excelente exposición sobre la cartelería realizada por Mucha, ya que para muchos es considerado como el precursor del diseño gráfico. Recuerdo esa exposición con deleite, el montaje museográfico excelente, las obras exquisitas con un sinfín de alegorías donde por su puesto tiene su espacio el alimento.

  En este ejemplo, con el título de "Fruit" (Fruta) de 1897, vemos de forma directa su inspiración en la naturaleza. La protagonista es una joven delicada que nos mira con algo de descaro y la fruta que porta en abundancia entre sus brazos. También hay que anotar que la abundancia de fruta en las obras de arte y las cornucopias (vaso en forma de cuerno que representaba la abundancia) en escultura y pintura son símbolo de abundancia y bienestar, una iconografía que siempre va a plagar las obras de la realeza y la burguesía.

  La mujer ya en sí misma es símbolo de pecado y de lujuria y es mostrada iconográficamente en muchos periodos artísticos de este modo. Aquí vemos a la mujer de nuevo como portadora de placer con estos manjares, uvas, melocotones, peras que muestra al espectador. Es cierto que esta es una de las líneas de interpretación, pero no olvidemos que la fruta ya era parte del manjar de los dioses junto con la Ambrosia (alimento de los Dioses prohibido para los humanos). Además la fruta tiene una connotación sexual que, junto con el calor, hace un cóctel bastante sugerente. Desde El platillo comilón nos preguntamos ¿qué fruta de verano os gusta? ¿Cómo la tomáis? fría, troceada, exprimida, batida, en vasos refinados o con las manos. Estaremos encantados de saber vuestras opiniones y por supuesto conocer qué os sugiere esta obra de Mucha.

  Si quieres acceder a la página del museo de Alfons Mucha en Pagra, pincha AQUÍ y si lo que quieres es acceder a la Fundación Mucha , AQUÍ.


http://www.mytaste.es/click/index/59153507/cocinaelplatillocomilon.blogspot.com.es

Tens os OLhos de Deus.






DISCOGRAFIA

11. TENS OS OLHOS DE DEUS

(Letra e Música de Pedro Abrunhosa)

Tens os olhos de Deus
E os teus lábios nos meus
São duas pétalas vivas.
E os abraços que dás,
São rasgos de luz e de paz
Num céu de asas feridas,
E eu preciso de mais,
Preciso de mais.

Dos teus olhos de Deus,
Num perpétuo adeus 
Azuis de sol e de lágrimas,
Dizes: ‘Fica comigo
És o meu porto de abrigo,
E a despedida uma lâmina!’.
Já não preciso de mais,
Não preciso de mais.

Embarca em mim,
Que o tempo é curto
Lá vem a noite
Faz-te mais perto.
Amarra assim 
O vento ao corpo,
Embarca em mim
Que o tempo é curto.
Embarca em mim.

Tens os olhos de Deus,
E cada qual com os seus
Vê a lonjura que quer,
E quando me tocas por dentro
De ti recolho o alento
Que cada beijo trouxer.
E eu preciso de mais,
Preciso de mais.

Nos teus olhos de Deus
Habitam astros e céus,
Foguetes rosa e carmim,
Rodas na festa da aldeia
Palpitam sinos na veia
Cantam ao longe que ‘sim!’.
Não preciso de mais,
Não preciso de mais.

Embarca em mim,
Que o tempo é curto
Lá vem a noite
Faz-te mais perto.
Amarra assim 
O vento ao corpo,
Embarca em mim
Que o tempo é curto.
Embarca em mim.

[x]

Conheça mais na página de Ana Mouro Google Plus: https://plus.google.com/u/0/110837615307172328259/posts 

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Prêmios e Selos recebidos pelos Blogs Maria Lopes.

Vídeos, Selos e Prêmios da Maria Lopes e Artes.

Café del Mar Ι Love You






CAFÉ DA MANHÃ, por Jefrson Sartori

Mesmo calado, volto ao meu café e, num último esforço para enxergar os passos dela que a distância me permite ver.

Trata-se de um ritual, mais necessário do que sagrado em si mesmo. Chego, sento sempre no lugar habitual, em uma mesa já quase na calçada da panificadora onde tomo o meu café da manhã. Faço meu pedido à mesma atendente de todos os dias, sempre com voz sonolenta e grave arranhando um "o de sempre", no que sou atendido com um gentil "só um minutinho" dito sempre já de costas, fruto da presteza da moça.
Há uma semana essa rotina foi interrompida, como interrompido hoje foi o preparo do meu desjejum para que eu pudesse escolher o que deveria substituir o doce de leite que está em falta (meu Deus, em falta o doce de leite!).

Voltando ao que dizia, minha rotina morna e chata de cafés da manhã foi interrompida por uma imagem que nestes últimos dias atravessa meu horizonte religiosamente no mesmo horário, com passos miúdos e quase ligeiros, sempre elegantes e postura ereta.
Meu pedido chega e, novamente, a tendente faz piada com a minha "cara de bobo", sugerindo que eu deveria convidar o foco de minha admiração dessas últimas manhãs para um café um dia desses. Resmungo diante da audácia que os muitos dias no mesmo local conferiram à essa jovem moça, morena, simpática que vê mais do que uma cara de bobo sentado tomando café antes de ir ao trabalho. Embarco nos devaneios e imagino o que ofereceria à jovem que me encanta, num eventual café da manhã? Sentencio a mim mesmo: Pão de queijo! Todo bom mortal aprecia um bom pão de queijo.
Mesmo calado, volto ao meu café e, num último esforço para enxergar os passos dela que a distância me permite ver.

Se bem que a ideia por um instante me pareceu ótima, e um café inofensivo. Seriamos como Adão e Eva num Édem sem a árvore do conhecimento do bem e do mal e por isso, sem restrições; apenas pães, doces (especialmente de leite), queijo, leite e café expresso, claro. Ainda fresca em minha memória a imagem de seus cabelos curtos, olhar firme  e acastanhados expõem tão somente intrepidez, com a qual seguramente governa sua vida (e a de algum incauto que a queira possuir), mas, seu vestido estampado e sapatos de bonecas denunciam uma frágil e doce menina, brincando debaixo da fantasia de balzaquiana, o silêncio que a acompanha nessa curta passagem de todas as manhãs à minha frente denotam haver em sua alma uma solitude de menina sozinha num jardim... Sei que toda mulher é antes, essa menina que almeja um ombro a que possa reclinar sua cabeça, e ouvir coisas bobas, bobas e meigas de um homem que a cuide, que não deixa o mundo lhe fazer male talvez, um bom homem com cara de bobo.
Meu café finalmente esfria, não me importo, me recomponho, pago e entro no meu dia novamente. Vou ao trabalho, faço votos que amanhã tenha doce de leite e quem sabe, pão de queijo.
Jefrson Sartori
- See more at: http://www.newsrondonia.com.br/noticias/cafe+da+manha+por+jefrson+sartori/28309#sthash.RpRzaiO5.dpuf

terça-feira, 7 de junho de 2016

Ana Carolina e Maria Gadu - Mais que a mim

ANA MOURA "FADO DAS ÁGUAS"


"FADO DAS ÁGUAS"


ANA MOURA (MEZZO TV) - "FADO DAS ÁGUAS"


Visitem a página (Ana Moura).
https://plus.google.com/u/0/110837615307172328259/posts

Barco Negro (Mariza)

Barco Negro (Mariza)

El barco negro, llamado asi por los japoneses debido al color de sus velas, es un barco comercial portugués de larga travesía (carabela portuguesa).


Trecho do show que gerou o DVD Concerto em Lisboa com a participação do Maestro Jaques Morelenbaum e a Sinfonietta de Lisboa.

Mariza - O Tempo Nao Para

Mariza - O Tempo Nao Para

https://br.pinterest.com/pin/233131718185908168/

Ana Moura/**Até ao fim do Fim**/

**Até ao fim do Fim**/


Ana Moura/**Até ao fim do Fim**/

ANA MOURA - FADO LOUCURA

 FADO LOUCURA


ANA MOURA - FADO LOUCURA


https://youtu.be/lh9YHtZzHfk?list=RDI5_THt1Wrac

"O meu amor foi para o Brasil" Olimpiadas 2016 Rio de Janeiro "Aquele Abraço"

"O meu amor foi para o Brasil"  Olimpiadas 2016 Rio de Janeiro "Aquele Abraço"





http://mundoejecutivoexpress.mx/deportes/2015/11/19/mexico-podria-quedar-fuera-juegos-olimpicos-2016

Ana Moura *2015 TVI* O meu amor foi para o Brasil



LÚCIO ALVES - VALSA DE UMA CIDADE



Tema Oficial Olimpiadas 2016 Rio de Janeiro




Tim Maia - Aquele Abraço

Maria Lopes e Artes homenageia os visitantes de bandeira Portuguesa.

*** Gostar De Ti ***
Maria Lopes e Artes é considerado um Blog Popular nas redes sociais.
Obrigada por sua visita. Maria Lopes.

1.Brazil



2.United States



3.Portugal







                                    


Os Portugueses estão entre os nossos maiores número de visitantes.
Se encontram no Terceiro lugar entre as bandeiras dos países 
que recebemos nos Blogues Maria Lopes.
Agradeço de coração a coração a preferencia neste universo que é a WEB.
Bem vindos os Brasil através do Blog Maria Lopes e a Arte do Espetáculo. 

 Gostar De Ti





Rita Guerra ... *** Gostar de Ti ***

http://www.portugal-live.net/P/essential/culture-arts.html

Artes Visuais

Escultura portuguesa

As origens da escultura portuguesa podem ser apreciadas através dos magníficos túmulos dos séculos XII a XV que se encontram por todo o país. No final do século XVIII, o ouro recém-descoberto no Brasil permitiu que o Barroco influenciasse de forma determinante a escultura nacional, sobretudo através do notável artista Machado de Castro (1731–1822).



As tradições neoclássicas e românticas de Itália e França inspiraram ainda Machado de Castro em finais do século XVIII, assim como Soares dos Reis um século mais tarde.

Pintura

No século XV, uma escola de pintores primitivos liderada por Nuno Gonçalves, autor dos notáveis “Painéis de S. Vicente de Fora”, terá produzido algumas das melhores obras de arte europeia da época, essencialmente de temática sacra.

O século XIX assistiu a um novo florescimento da pintura em Portugal, inspirado por um Romantismo tardio. A época de realismo naturalista que se seguiu foi substituída no século XX por um experimentalismo mais pessoal.

Arte contemporânea

Há vários artistas portugueses contemporâneos que deixaram a sua marca no mundo da arte. Maria Helena Vieira da Silva (1908–1992) é considerada uma das maiores pintoras abstractas do país, e Carlos Botelho (1899–1982) notabilizou-se pelas suas cenas de ruas de Lisboa.

Paula Rego tornou-se famosa pela sua pintura “narrativa”, tendo conquistado reconhecimento internacional sobretudo com as suas séries “Mulher Cão” e “Aborto”, na década de 1990.
A obra desta pintora está hoje representada nos mais importantes museus e galerias de arte contemporânea do mundo, incluindo a Tate Modern, em Londres, e existe um novo museu em Cascais dedicado em exclusivo à sua arte – a Casa das Histórias Paula Rego.
Azulejos

Entre as artes decorativas, a azulejaria portuguesa é especialmente notável. São numerosos os edifícios dos séculos XVI e XVII revestidos com painéis de azulejos azuis e brancos ou policromáticos, assim como alguns espaços interiores de igrejas ou palácios. Entre os exemplares mais famosos incluem-se os do Pátio da Carranca, no Palácio Nacional de Sintra; da Igreja de São Roque, em Lisboa; e da Quinta da Bacalhôa, em Azeitão, próximo de Setúbal.http://www.portugal-live.net/P/essential/culture-arts.html

Alberto Indio é assumidamente um compositor de canções. Nascido no Porto em 1980, o músico conta com um trajecto musical da forma mais apaixonada por esta arte que o faz respirar. Os seus temas cantados em Português, fazem claramente transparecer a expressão, sentimento e entrega à sua música.

  • Alberto Indio - QUERO-TE DIZER

Single do 2º trabalho de originais do músico portuense Alberto Indio. 2013/2014

QUERO-TE DIZER (letra e musica Alberto Indio)
Produção e arranjos: Rodolfo Cardoso

Bateria: Hugo Danin
Baixo: João André Piedade
Guitarra: Rodolfo Cardoso
Piano e Hammond: Claudio Souto
Coros: Patricia Antunes e Patricia Silveira
Videoclip filmado em 2013 nos Boom Studios
Hairstyle e Make up: Andreia Martin (Inês Pereira cabeleireiros)
Figurantes: Alberto Indio e Alex
Realizado por André Tentugal (Neutral Report)


segunda-feira, 6 de junho de 2016

domingo, 5 de junho de 2016

nana caymmi - minha nossa senhora


Maria Aprendiz implora a 

Nossa Senhora estenda a mão 

sobre o meu país.


                



Que que é isso que se costura
Na minha alma
Doce sutura, futura calma
Que a prece alcança na paz de Deus.
E até mesmo se há alguém que pense
Que a morte é sonho,
Melhor viver nessa vida um sonho
Que eu possa ver pelos olhos teus.
Pois sabendo que um dia é sempre
Chegada a hora,
Eu peço, oh Minha Nossa Senhora,
Que estenda a mão sobre o meu país.
Quem te implora é outra Maria,
A Maria qualquer, a Maria aprendiz.
Eu também quero ser
- quem não quer?
Quero ser feliz.




"A Maria Aprendiz implora a 
Nossa Senhora estenda a mão sobre o meu país". Nana Caymmi.