Maria Lopes

Maria Lopes

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Abertura da exposição Pororoca - A Amazônia no MAR no Rio de Janeiro

Museu de Arte do Rio
Praça Mauá, 5, Centro
CEP 20081-240
Rio de Janeiro/RJ
(21) 3031 2741

 
9 de setembro
10h
O MAR inaugura a exposição "Pororoca – A Amazônia no MAR", reunindo obras da Coleção MAR que têm como foco algum aspecto da região amazônica. Formada por obras de artistas amazônicos ou que trabalharam nessa parte ainda pouco conhecida do Brasil, a Coleção Amazônica do MAR tangencia debates ecológicos, cosmológicos, sociais, antropológicos e políticos, abordando a produção estética dessa região em suas plurais dimensões, da iconografia à produção artística contemporânea. A mostra conta com curadoria de Paulo Herkenhoff e inclui obras provenientes de diversos fundos da Coleção MAR, a exemplo do Fundo Fundação Rômulo Maiorana, Fundo Berna Reale e do Fundo Z.


 

Conheçam o Printrest daMariaLopes e a Arte do Espetáculo

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

A vida é como uma viagem de trem.

 
 



 
A vida é como uma viagem de trem!
Com embarques e desembarques,
Com encontros e despedidas.
E de vagão em vagão, acabamos
Conhecendo pessoas importantes
Que passam a fazer parte da nossa vida!
Mais nem sempre poderemos ir até o fim
com as mesmas pessoas pois elas descem em estações diferentes para seguirem o seu destino...
Mas nunca vamos esquecer daquelas que se sentaram ao nosso lado, mesmo que por uns instantes.
Amigos façamos com que a nossa
viagem tenha válido a pena e que
quando chegar o momento de desembarcarmos o nosso lugar vazio traga Saudades e boas recordações para aqueles que prosseguirem a viagem.
(Belas Mensagens)
 

Prometo ver la alegría pero nunca mas usar la violência

Si pudiera olvidar
Todo aquello que fui
Si pudiera borrar
Todo lo que yo vi
No dudaría
No dudaría en volver a reír ...

Si pudiera explicar
Las vidas que quite
Si pudiera quemar
Las armas que use
No dudaría
No dudaría en volver a reír

Prometo ver la alegría
Escarmentar de la experiencia
Pero nunca, nunca mas
Usar la violencia

Si pudiera sembrar
Los campos que arrasé
Si pudiera devolver
La paz que quité
No dudaría
No dudaría en volver a reír

Si pudiera olvidar
Aquel llanto que oí
Si pudiera lograr
Apartarlo de mí
No dudaría
No dudaría en volver a reír

 Prometo ver la alegría 
 Escarmentar de la experiencia
Pero nunca, nunca mas
Usar la violencia .
 
 Foto: Si pudiera olvidar 
Todo aquello que fui 
Si pudiera borrar 
Todo lo que yo vi 
No dudaría 
No dudaría en volver a reír 

Si pudiera explicar 
Las vidas que quite 
Si pudiera quemar 
Las armas que use 
No dudaría 
No dudaría en volver a reír 

Prometo ver la alegría 
Escarmentar de la experiencia 
Pero nunca, nunca mas 
Usar la violencia 

Si pudiera sembrar 
Los campos que arrasé 
Si pudiera devolver 
La paz que quité 
No dudaría 
No dudaría en volver a reír 

Si pudiera olvidar 
Aquel llanto que oí 
Si pudiera lograr 
Apartarlo de mí 
No dudaría 
No dudaría en volver a reír 

Prometo ver la alegría 
Escarmentar de la experiencia 
Pero nunca, nunca mas 
Usar la violencia . Extraído do Facebook Francisco Gomez De Aranda

El paraíso ...sí aqui.

Abençoado dia a todos!!!

                                                  
Abençoado dia a todos!!!

"Sejamos livres...
Da palavra que fere
Da angústia que chega
Da maldade que assombra
Da ilusão que engana
Do cansaço que esgota
Da mentira que confunde
Do desafeto que afasta
Do orgulho que separa
Da mágoa que adoece."

( Ita Portugal)


 
Abençoado dia a todos!!!
"Sejamos livres...
Da palavra que fere
Da angústia que chega...
Da maldade que assombra
Da ilusão que engana
Do cansaço que esgota
Da mentira que confunde
Do desafeto que afasta
Do orgulho que separa
Da mágoa que adoece."

( Ita Portugal)